Início > Outros de Ciclismo > Mais que uma volta ao mundo (Uma bike com 50.000 km)

Mais que uma volta ao mundo (Uma bike com 50.000 km)


Mongoose IBOC Sport 1994 (Foto: Paulo Ciclista)

O Paulo de São Caetano (conheço-o há muitos anos mas ainda não sei seu nome inteiro) costuma fazer regularmente o percurso ida e volta de São Caetano a São Paulo e também pedalar nas estradas até as cidades vizinhas.

Uma de suas bikes já rodou mais de 50.000 km registrados no odômetro, uma quilometragem pouco comum.

É bastante mesmo, veja:
1) Uma volta completa na Terra pela linha do Equador dão 40.075 km. Mas isso é bastante? SIM. Lembre-se que a Terra é uma esfera tão grande que parece ser plana. Aliás, antigamente acreditava-se que ela fosse quadrada, né?
2) De São Paulo a Salvador dão 1979 km. Normalmente demora-se uns quatro dias de carro. Que tal então ir 25 vezes de bicicleta?
A bicicleta do Paulo, a cada dia que vejo, tem alguma novidade: às vezes é um pneu que estava novo mas que em pouco tempo já está quadrado, o aro da roda que gastou e furou de tanto frear.

Adaptador para V-Brake projetado pelo Paulo de São Caetano

Essa Mongoose é uma das três bicicletas que o Paulo tem atualmente, e apesar de parecer empoeirada, ela é na verdade muito bem cuidada. É que as partes que importam estão sempre sendo lubrificadas e substituidas visando durabilidade e conforto e o descuido proposital fica por conta de saber que pode ser feito a qualquer momento, aos poucos, e com peças escolhidas criteriosamente. Paulo é um dos ciclistas mais caprichosos que conheço, basta ver o adaptador para V-Brake projetado por ele. Esse adaptador foi necessário na mudança dos Cantilevers originais pelos V-Brakes, fica como dica para muitos possuidores de quadros da época pré V-Brake como por exemplo as Specialized Stumpjumper de 1993 e 1994 que precisariam de um adaptador assim.
A Mongoose IBOC Sport é uma das que foram importadas nos anos 90, é de aço cromoly e é bem bonita. Na época, lembro que tinha como característica principal o “mono stay” que era o fato dos dois tubos do triângulo traseiro se juntarem em um único antes de ser soldado no tubo do selim, veja na foto. Com um garfo de cromoly como esse do Paulo, a bicicleta se torna quase indestrutível em uso normal, mantendo-se tão boa quanto quando saiu da fábrica anos atrás. Esses quadros de cromoly superdimensionados não têm problema de fadiga e realmente são quase eternos.
O Paulo é fã da Specialized Stumpjumper, já teve duas ao mesmo tempo, sendo que uma delas foi roubada na Rodovia Fernão Dias. Essa bike roubada tinha na época mais de 30.000 km. São então DUAS voltas ao mundo no total, não é? É realmente incrível a distância que se consegue andar com uma bicicleta.
Parabéns ao Paulo, esse sim o verdadeiro Paulo Ciclista.
Um abraço.

Atualizado em 17-Jul-2013: a bike verde do Paulo está hoje com 71.000 km rodados.

Categorias:Outros de Ciclismo
  1. julho 17, 2013 às 7:54 am

    Atualizado em 17-Jul-2013: a bike verde do Paulo está hoje com 71.000 km rodados.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: